17 julho 2008

Gíria é um bagulho cabuloso daí...


Como recentemente mudei de estado (eu morava no rio de bosteiro e me mudei para Caçapava, interior de SP) lembrei de uma coisa que na minha infância me incomodava um pouco: Gíria e Modos de falar do lugar.

Era só eu chegar na padaria daqui de Caçapava e pedir: - Dois pães por favor. Já prontamente perguntavam: -Você é carioca? E eu respondia com toda educação: - Não sou Bahiano não reparou?

Mas entre essas e outras, achava engraçado como as pessoas enrolavam na hora de falar "forte, porta, catorze, certo etc..." da mesma forma que implicavam com o meu sotaque. Ainda bem que eu não tinha parentes e nem visitava o sul, pois morreria de rir quando alguém pedisse um Cacete... (Pão) moleque com mente suja sabe como é...

Mas dependendo do lugar acaba-se por criar até um vocabulário novo de tantas palavras locais e com usos diferentes encontramos o que poderia causar certa confusão e constrangimento.

Culpa desses malditos portugas que quiseram abraçar a América do sul com as penas e esse país é grandão, por isso difícilmente teríamos uma língua coesa onde todos falam a mesma coisa e todos se entedem por completo (mas tem, e é o português padrão), porém, a regionalidade faz um papel de enriquecer o nosso vocabulário.

Um dos sotaques que eu acho mais bonito é o do sul, e o mais feio (se podemos dizer assim) não existe... Na verdade acho bonito o "Nordestinês" porém detesto só uma corruptela, o famigerado "Tarra". Não sabe do que se trata? Ex: - Eu tarra na casa de fulaninho outro dia. Detesto de todo coração esta pequena face do inferno.

Os mineiros (bahianos cansados [vinham da Bahia para o rio mas cansaram e por lá ficaram]), tem a mania de abreviar as palavras e acrescentar diminutivos em quase todas. Formando a mais engraçada pérola: "Oncotô" Ex: - Oncotô? Ah na cidade...

Eu poderia falar de outros tantos sotaques, mas ficaria muito extenso, então antes de me criticar por aquele ou outro sotaque citado, lembre-se: Português aqui falado é sotaque de brasileiro pois a raiz está em Portugal! Enfim, vá reclamar com eles!

10 comentários:

Tatiana Camilo disse...

Não sei o que eu tenho, mas acho que atraio gírias. Uma vez convivi 2 semanas com uma amiga baiana e saí falando vc deve imaginar como. Depois passa. Mas transferencias de cultura são boas, deixa tudo numa coisa só. rs
tudo bem q gíria não eh bem uma cultura, mas tah valendo rs

Convido a visitar meu blog:
www.espelhomagic.blogspot.com

Bjs

Diego Rodrigues disse...

Gíria com certeza gera muitas histórias pra contar por aí. O pessoal que viaja para fora do estado, por exemplo, com certeza já enfrentou diversas situações em que acabou derrapando em uma gíria aqui e ali. Bom blog. Até.

Stanley Marques disse...

Certamente. O regionalismo enriquece a Língua Portuguesa, criando entre os indivíduos de uma mesma região, uma identidade, algo que os integre. Acho bacana isso.


dê uma passadinha lá
http://www.antologiaracional.com/

Mila. disse...

tá na hora de fazer um post sobre sua queriiida irmãzinha xD
HAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHHAHA'

Lily disse...

esse assunto dá pano pra manga!
essas histórias de gírias são mto engraçadas msm! mas vc falou dos portugueses... e qndo ELES falam as gírias deles aqui no Brasil?
nossa... é de morrer de rir!!

e eu tb concordo q o sotaque do sul é o mais bonito! qndo vou pro sul, volto falando "cantado"...rs

e o do nordeste eu acho engraçado e acho q tem um valor meio "lírico"... acho poético, sei lá...

mas, nada contra os paulistas, mas eu, como boa carioca, digo que acho MUITO FEIO sotaque de paulista, meeeeeu... e todas as suas porrrrtas torrrrtas! rsrsrs

bjksss

O ANTAGONISTA disse...

Eu "tarra" lendo seu texto e lembrei que já vi vários livros (chamados de dicionários) que tratam da mesma questão... os significados das expressões de determinadas regiões: dicionário de nordestinês, de Baianês, de mineiro...

Apesar de não ser um estudioso da área, gosto muito de procurar saber origens de algumas expressões que usamos. No caso do nordeste, além da influência Tupi e dos dialetos africanos, há também muitas expressões derivadas do espanhol, do francês e do holandês (este último mais precisamente em Recife). Isso também influencia de forma determinante no sotaque da região. Interessante esse tema!

Valeu.

andré disse...

aqui em Braólia não tem sotaque, mas em compensação, é gíria pra tudo quanto é lado!
heheheheh
muito triste...

Camila disse...

creio que gíria não é o mais apropriado, pois girias sao palavras que apenas um determinado grupo social usa, regionalismo sim seria o que nos falamos aqui no sul e vcs ai em sao paulo.. Mas veja bem que eu jamais chegaria na padaria e diria: - Quero 3 cacete.. e acredito que ninguem fale isso assim... chamamos de cacetinho, cacetinho é pão, cacete.. é outra coisa...


beijosss

Rafael disse...

HAHAHAHA eu não falo Oncotô não hein? UHhuauhuhahuahua sou um mineiro bem prolixo nas palavras!
hauuhahuahuahua

abraço grande Michel!

R Lima disse...

kd um tem a sua.. são vários brasils (tá certo? rsss) num só terreiro.

Té,




Texto de hoje: aMor...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...